Consumo de oleaginosas diminui o risco de câncer colorretal

O consumo de oleaginosas tem sido associado a melhores condições de saúde devido a composição nutricional desses alimentos e às suas ações que podem incluir atividade antioxidante, e regulação da resposta inflamatória e do sistema imunológico.

Lee e colaboradores realizaram estudo caso-controle com objetivo de avaliar o impacto do consumo ou não de oleaginosas na incidência de câncer colorretal. Para isso, 923 pacientes com diagnóstico da doença e 1846 pacientes saudáveis (controle) foram recrutados do Centro Nacional de Câncer da Coréia.  Foi aplicado questionário de frequência alimentar (QFA) semi-quantitativo com 106 itens. O consumo de oleaginosas (nozes, amendoim e amêndoas) foi classificado como <1 porções por semana, 1–3 porções por semana e ≥3 porções por semana, sendo que 1 porção representava 15g.

Após ajuste para idade, nível de escolaridade, consumo de álcool, IMC, prática regular de exercício físico, ingestão de carne vermelha, frutas e vegetais, e consumo total de energia, foi observada relação inversa entre risco de câncer colorretal e consumo de oleaginosas entre homens e mulheres. A sub análise mostrou que comparado ao grupo que não consumia oleaginosas, os homens com consumo ≥ a 3 porções por semana tiveram redução no risco de câncer de cólon proximal (OR: 0,25), câncer de cólon distal (OR: 0,39) e câncer retal (OR: 0,23). Mulheres com alto consumo de oleaginosas tiveram redução no risco de câncer de cólon distal (OR: 0,13) e câncer retal (OR: 0,40).

Os autores concluíram que consumir oleaginosas com frequência está associado à redução do risco de câncer colorretal em coreanos, o que reforça a importância do consumo desses alimentos.

Por: Michelle G. Barone

Referência:

Lee J, Shin A, Oh JH, Kim J. The relationship between nut intake and risk of colorectal cancer: a case control study. Nutr J. 2018 Mar 7;17(1):37.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *